Um clã de leões no Parque Nacional Queen Elizabeth no Uganda, África. O National Geographic que se dedica à preservação da vida selvagem estava a acompanhar durante semanas um clã de leões no norte do parque.

Três fêmeas: a Murunji, a Kogeeri e a Bridgette e as suas oito crias tinham se alimentado de um cobo, um antílope muito comum em África, durante a noite. Na manhã seguinte todo o clã estava a descansar nas árvores.

Os clãs de Uganda ficaram conhecidos por serem os únicos leões em África a preferirem passar o a maior parte do tempo em cima das árvores, muitas das vezes a dois andares de altura, algo muito invulgar neste felinos.

Após o fim das filmagens do National Geographic as três fêmeas e as oito crias foram encontradas envenenadas no parque. Todo o Northern Pride, assim como era chamado o clã de leões do norte, morreu às mãos de humanos.

Não se sabe as razões que levaram as pessoas matar todo um clã de leões no seu habitat natural, mas suspeita-se que tenha sido por terem caçado gado.

O clã do norte morreu no dia 10 de abril de 2018, mas só agora foram divulgadas as imagens e a informação pelo National Geographic.

Anúncios