Ursula van der Leyen na Comissão Europeia, Christine Lagarde no BCE.

Comissão Europeia fica para o PPE, Conselho Europeu para os liberais e Lagarde no BCE. Socialistas ficam com o alto representante para as relações externas da UE.

Já há acordo para os cargos de topo da UE: a Comissão Europeia fica para a alemã Ursula von der Leyen (PPE), o Conselho Europeu para o primeiro-ministro belga, Charles Michel (dos liberais), e Christine Lagarde vai substituir Mario Draghi no BCE. Para os socialistas fica o cargo de alto representante para as relações externas da UE (o Ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, Josep Borrel, será o responsável pela pasta) e garantem a primeira vice-presidência da Comissão Europeia, que ficará para o candidato socialista à Comissão Europeia, Frans Timmermans. Ao que tudo indica, a presidência do Parlamento Europeu fica dividida entre os conservadores do PPE e os socialistas europeus: metade do mandato para Manfred Weber, o spitzenkandidat do PPE, e a outra metade para o búlgaro Sergei Stanishev.

Esta solução foi conseguida ao fim de dois dias de negociações em Bruxelas, com o PPE dividido em torno do nome a apontar para a Comissão Europeia. Havia uma primeira distribuição de cargos acordada entre Angela Merkel, Weber e o presidente do PPE. No entanto, a solução que tinha o spitzenkandidat apoiado pelos socialistas à cabeça, não vingou, com a família de centro-direita a recusá-la, sobretudo por causa do peso ao grupo de Visegrado a opor-se ao nome do socialista holandês que também teve a oposição do primeiro-ministro italiano Salvini. Merkel nunca conseguiu fazer passar esta solução e acabou por colocar à frente da comissão aquela que durante muitos anos foi apontada como sua sucessora na Alemanha.


em site observador.pt
Anúncios