Os trabalhadores dos hiper e supermercados e armazéns tem andado em greve por melhores salários e condições de trabalho, bem como pelo encerramento dos estabelecimentos aos domingos e feriados.

Desde o dia 1 desde mês já estiveram envolvidos em ações de luta por melhores salários e condições de trabalho os trabalhadores do Pingo Doce, IKEA, Intermarché, C&A, Lidl, Dia e Jumbo.

A Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (ADEP), que é presidida pela Sonae/Continente, está a bloquear a negociação do contrato coletivo de trabalho há quase três anos, querendo a redução do valor pago pelo trabalho suplementar e a aceitação do banco de horas (trabalho à borla) a troco de ‘aumentos’ salariais de 11 cêntimos ao dia”.


em site tvi24.pt

Anúncios