Nicolás Maduro ordenou esta quinta-feira a detenção de Leopoldo López, opositor do regime do atual Presidente da Venezuela, por ter violado a sua prisão domiciliária e a ordem de não falar em público, de acordo com o El Espanol. A ordem proveio do Supremo Tribunal da Venezuela. Durante esta quinta-feira, o atual Presidente da Venezuela marchou ainda nas ruas ao lado das Forças Armadas, em clara mensagem de oposição a Juan Guaidó.

López está desde terça-feira refugiado com a sua mulher e filha menor na embaixada de Espanha em Caracas. No entanto, segundo fontes diplomáticas espanholas, o opositor não terá pedido asilo político, alegando que apenas procura evitar atentados contra a sua vida e integridade política. Anteriormente, López, de 48 anos, esteve na embaixada do Chile, passando pouco depois para a residência do embaixador espanhol em Caracas, Jesús Silva.

O Supremo Tribunal venezuelano acusa Leopoldo López de “violar flagrantemente” a prisão domiciliária e de quebrar a medida que o proibia de fazer “pronunciamentos políticos por meios convencionais e não convencionais, nacionais e internacionais”.

Leia a indignação de Espanha e a sua posição clicando aqui


em site O Observador
Anúncios