O Parlamento britânico voltou esta segunda-feira a falhar o consenso, rejeitou as quatro propostas apresentadas a votação e, com isso, mantém processo de sáida da União Europeia “encalhado” em Londres.

A Casa dos Comuns debateu ao longo da tarde e votou ao início da noite, ficando desta vez muito perto de aprovar a primeira moçao no boletim, identificada pela letra C, apresentada pelo Conservador Ken Clarke e na qual era proposta a permanência numa união aduaneira especial. 

A proposta ficou a quatro votos de ser aprovada.

Curiosa a votaço das duas últimas propostas que anteviam a devolução ao povo da decisão final, incluindo a de uma aventual revogação do artigo 50. Ambas foram rejeitadas com 292 votos contra cada uma das moções.

A proposta de uma união aduaneira com a União Europeia foi quase aprovada. Faltavam apenas quatro votos para que esta fosse a medida aplicada por Londres ao Brexit. Continuar numa união aduaneira com a Europa, tal como acontece com a Suíça ou a Noruega.

A segunda mais votada foi um mercado comum. Com 282 votos contra e apenas 261 a favor, esta medida não conseguiu também ela sair do papel.

A terceira mais votada foi a de uma segunda consulta pública. Um segundo referendo no qual iria ser perguntado aos britânicos se quereriam continuar com a decisão do Brexit ou revogar o artigo 50 da União Europeia.

A quarta mais votada foi a de passar a decisão do Brexit totalmente para o poder do Parlamento Britânico. O Parlamento teria de chegar a um consenso e decidir quais seriam as melhores medidas a serem aplicadas para uma saída ordenada da União Europeia.


artigo com excertos em site de Euronews
Anúncios